No primeiro trimestre de 2023, o Bitcoin (BTC) se destacou como o melhor investimento com sobras. Conforme o Coinglass, o preço da criptomoeda registrou alta de 71,77%.

Trata-se de um avanço em relação ao prejuízo de 14,75% registrado no quarto trimestre de 2022.

Por outro lado, o Ether (ETH) registrou ganhos de 52,15% no primeiro trimestre, contra um prejuízo de 9,94% no trimestre anterior. As duas criptomoedas despontam como os melhores investimentos de 2023 até o momento.

Desempenho do Bitcoin em 2022 e 2023. Fonte: Coinglass.

Além do preço, a atividade da rede do Bitcoin também cresceu à medida que o preço se recuperava. De acordo com dados dá blockchain, o Bitcoin ultrapassou 800 milhões de transações em toda a sua história. No total, a criptomoeda já movimentou mais de US$ 107 trilhões cumulativamente desde o seu lançamento, em 2009.

Endereços ativos voltam a se recuperar.

Apesar do mercado em baixa, os endereços ativos na rede estão em tendência de alta. Em termos de oferta distribuída, o número de entidades com menos de 10 BTC também aumentou, atingindo 17% da oferta total da criptomoeda.

Outro fator que contribuiu para o aumento do uso foi o surgimento dos tokens Ordinais e BRC-20 no Bitcoin, possibilitado pelo soft fork Taproot. Graças aos “NFTs do Bitcoin”, isso resultou num grande aumento na adoção e utilização do Taproot.

Cada vez que um usuário decide inserir ou negociar um NFT no Bitcoin, isso demanda espaço nos blocos. O uso, por sua vez, aumenta a demanda da rede, impactando na taxa média das transações. De acordo com dados da Mempool, a taxa chegou a atingir US$ 3 por sat/b em março.

Dessa forma, a explosão da contagem de transações tende a gerar mais receita para os mineradores na forma de taxas de transação. Por isso, o poder de processamento (hash rate) atingiu 342 exahashes por segundo (EH/s), uma máxima histórica.

Um aumento nas taxas totais de transação, bem como na porcentagem da receita do minerador com as taxas, sinaliza o modelo de segurança sustentável do Bitcoin. Quanto mais hash rate na rede, mais segura ela se torna contra-ataques.

Lightning cresce e atinge US$ 50 milhões.

A capacidade da Lightning Network do Bitcoin também ultrapassou US$ 50 milhões. Embora a adoção tenha sido baixa, a reviravolta foi encorajadora para seu desenvolvimento.

Recentemente, um relatório da Valkyrie Investments observou que a adoção da segunda camada do Bitcoin está ganhando força nos mercados emergentes, como América do Sul e África. Países como El Salvador continuam liderando a adoção dessa rede.

O Bitcoin também conseguiu superar a maioria dos ativos no primeiro trimestre, o que, conforme a pesquisa da ITB, “é indicativo de seu crescente apelo como reserva digital de valor, com sua correlação com os preços do ouro aumentando de -0,3 no início do ano para 0,9 no fim do trimestre”.

Nos siga no Instagram: @guiacripto.online