Mesmo que seu valor tenha ficado abaixo de US$ 40 mil, o Bitcoin não para de crescer. Pela primeira vez na história, existem mais de 40 milhões de endereço Bitcoin.

Isso não quer dizer que existem de 40 milhões de usuários. Entretanto, um mesmo usuário pode ter diferentes endereços.

Além disso, alguns possuem pelo menos 0,01 BTC, que no ano passado totalizavam 10 milhões, agora existem mais de 30 milhões de endereços na rede Bitcoin que possuem este valor.

Os endereços de rede Bitcoin a acumular pelo entre 1 satoshi e 0,1 BTC estão em máximas de todos os tempos. Enquanto isso, as grandes baleias (endereços com 1.000 ou mais BTC) estão diminuindo.

Os endereços mais ricos da rede estão em claro declínio. Aqueles conhecidos como baleias caíram de quase 2.500 em fevereiro de 2021 para pouco mais de 2.100 hoje.

O mesmo vale para as baleias “mega-ricas”, aqueles endereços com mais de 10.000 Bitcoins. Agora, elas são cerca de 35% menos do que em 2019.

Por outro lado, com relação ao preço do Bitcoin, as notícias não são tão animadoras. O crescente conflito entre a Rússia e a Ucrânia continua a prejudicar os mercados financeiros, e o espaço das criptomoeda não é exceção.

O Bitcoin, por exemplo, caiu US$ 3.000 em um dia, levando consigo todo o mercado de criptomoedas.

Menos de uma semana atrás, o BTC foi negociado a US$ 45.000. Depois disso, os ursos assumiram o controle total do mercado e começaram a empurrar o ativo para baixo vigorosamente.

Após cair US$ 5.000 para a linha de US$ 40.000, o BTC ficou lá por um tempo, mas acabou recuando mais no fim de semana.