A disputa entre a Rússia e Ucrânia mobilizou não apenas os políticos e chefes de estado, mas grande parte da população mundial e da comunidade de criptomoedas que se sensibilizou com a guerra.

Muitas doações em Bitcoin e criptomoedas foram enviadas para uma série de organizações em busca de ajudar a Ucrânia. Contudo, diversas doações também foram destinadas aos russos em apoio ao conflito.

Durante o conflito os Golpistas estão surgindo procurando lucrar com o caos.

Eles estão usando as redes sociais para se passar por cidadãos ucranianos e argumentando que estariam sofrendo com a guerra e assim emocionar as pessoas para roubar suas criptomoedas.

Consoante a empresa de segurança cibernética Avast, várias postagens falsas de doação estão sendo disseminadas nas redes sociais, incluindo TikTok e Twitter.

Segundo a empresa, os golpistas também estão promovendo ataques de ‘phishing’. Dessa forma, em vez de fraudar doações, eles roubam todos os fundos dos usuários.

O roubo

Segundo a Avast, as postagens contêm um link para a doação. Assim, ao clicar no link malicioso com a boa intenção de doar Bitcoin aos ucranianos, o usuário fornece seus dados. Com isso, dá o controle de sua carteira de criptomoedas aos criminosos.

Essas solicitações geralmente usam linguagem específica e variam de comoventes a ameaçadoras.

Entre as frases a serem consideradas ao detectar um golpe estão as seguintes: “socorro, estou preso aqui”, “preciso enterrar meu familiar”, etc.

Para evitar cair nesses golpes, a equipe da Avast recomenda evitar enviar dinheiro diretamente para pessoas desconhecidas. Afinal, é praticamente impossível saber se é uma pessoa necessitada ou um golpista.

“Se você quiser ajudar o povo da Ucrânia, recomendamos que você doe apenas por organizações oficiais e confiáveis ​​ou doe diretamente em seu site, e não por links compartilhados nas mídias sociais”, finalizou.