Mansão do Sheik dos BTC é depredada e roubada
Mansão do Sheik dos BTC é depredada e roubada
Criptomoedas, Bitcoin, Brasil, News

Mansão do Sheik dos BTC é depredada e roubada

Mansão do Sheik dos BTC é depredada e roubada por vândalos e se tornou até um ponto de encontro para usuários de drogas. Ele é um dos suspeitos presos preventivamente pela PF, após indícios de crimes contra o sistema financeiro.

Francisley era o fundador e líder do Grupo InterAG, que operava de Curitiba com várias empresas. Sua prisão ocorreu após autoridades dos Estados Unidos pedirem que o suspeito fosse detido. Na América do Norte, ele também é investigado por crimes contra o sistema financeiro contra investidores. No Brasil, ele fez vítimas como a família de Janguiê Diniz e a modelo Sasha Meneghel, filha de Xuxa e Luciano Szafir.

De acordo com reportagem da RICtv, afiliada da RecordTV em Curitiba, uma das mansões do Sheik dos bitcoins está em ruínas. Desde que a prisão do suspeito ocorreu em 2022, o local começou a ser depredado, segundo vizinhos. Além disso, usuários de drogas se instalam no local para consumir, criando uma sensação de insegurança na região do condomínio. A casa, segundo apuração, não era onde vivia Francisley e funcionava como um apoio de suas atividades fraudulentas.

Em visita ao local, uma jornalista constatou que nem o portão da residência foi poupado. Fiação, azulejos, entre outros bens do imóvel acabaram surrupiados por criminosos, que agora frequentam o local. Além da depredação do imóvel e do consumo de drogas na agora ex-mansão do sheik dos bitcoins, os vizinhos contaram histórias apavorantes sobre a situação. Um dos vizinhos, por exemplo, declarou que pessoas estranhas estão frequentando a região, episódio nunca visto pelos moradores.

Outro já relatou que viu pessoas passando pela madrugada com carrinhos de supermercado, cheios de itens depredados da mansão de Curitiba. Segundo ele, nos últimos dias, ao sair de uma reunião do condomínio, ele percebeu que uma Kombi parada em frente ao terreno estava sendo carregada por criminosos que roubaram ferros do imóvel.

É importante lembrar que, apesar de a mansão ser propriedade do sheik dos bitcoins, a Justiça Federal pode usá-la para reembolsar os clientes. No entanto, devido ao dano causado, o imóvel pode perder valor e prejudicar o processo de indenização de investidores prejudicados.

As empresas de Francisley se infiltraram em movimentos religiosos para atrair clientes, prometendo retornos acima do mercado para os investidores. Segundo as investigações da Polícia Federal, o prejuízo causado por suas atividades criminosas pode chegar a R$ 4 bilhões na Operação Poyas.

 

Posts relacionados

Deixe um comentário

Campos obrigatórios estão marcados *