Embora o bitcoin e todo o mercado de criptomoedas estejam enfrentando dificuldades desde o começo do ano, um estudo mostrou aumento de atividades criminosas no setor durante o primeiro semestre. 

De acordo com dados analisados pela equipe da Atlas VPN, desde 1º de janeiro de 2022, projeto cripto sofreram 175 hacks, dos quais os criminosos conseguiram roubar US $1.97 bilhões.

A análise foi baseada em números fornecidos pelo SlowMist Hacked, uma plataforma de análise que reúne informações detalhadas sobre ataques cibernéticos em projetos blockchain.

maior vítima destes ataques foi o ecossistema Ethereum (ETH), que perdeu mais de US $1 bilhão em 32 ataques. Em particular, o evento mais prejudicial foi o ataque à rede Ronin, sidechain da  Ethereum projetado para o popular jogo play-to-earn Axie Infinity (AXS), onde os criminosos levaram mais de US$ 600 milhões em ETH e USDC.

A segunda maior vítima é a blockchain da Solana (SOL), que sofreu um prejuízo de US $383.9 milhões em apenas 5 incidentes, o maior dos quais ocorreu através da exploração da plataforma financeira descentralizada (DeFi) Wormhole.

Em terceiro lugar está a Binance Smart Chain (BSC), que perdeu US $141.4 milhões em 47 ataques durante o primeiro semestre de 2022, o maior número ataques entre todos os projetos.

Os projetos de tokens não-fungíveis, NFTs, também não estavam a salvo de cibercriminosos, foram 45 incidentes com perdas de US $84,6 milhões.

Hacks relacionados ao mercado cripto no primeiro semestre de 2022, divididos por alvos.

Os crimes relacionados ao mercado cripto quase dobraram em 2022

O número dos eventos aumentou de 90 na primeira metade de 2021 para 175 no mesmo período em 2022, ou seja, um aumento de 94%.

O primeiro trimestre de 2022 teve 79 ataques de hackers, 108% mais incidentes do que no mesmo período em 2021, com 38 incidentes registrados. O segundo trimestre de 2022 registrou 96 ataques, representando um crescimento de 85% em comparação com os 52 do segundo trimestre de 2022.

A Coreia do Norte fechou o primeiro semestre de 2022 como líder entre todos os países quando se tratava de criminalidade cripto, com registros de 15 ciberataques bem sucedidos. Os Estados Unidos registraram 14 casos.